Julgamento dos e-mails: “A migração dos dados custou dois milhões de euros”.

Advertisement

O engenheiro António Ferreira, director técnico dos sistemas de informação, logística e património das águias, garantiu ao tribunal que não sabe quem foi o autor da fuga de informação revelada no Porto Canal, mas a desconfiança que se gerou após a divulgação dos emails levou o Benfica a trocar imediatamente de fornecedor de serviços informáticos.

“Não sabemos a hora, o dia, quem ou como aconteceu. Tanto pode ter sido um funcionário interno, como um técnico da Altice com elevado acesso ou alguém de fora”, disse António Ferreira, salientando que a consequência imediata da divulgação dos emails foi a mudança de serviço: “O nível de garantia da Altice, empresa que continua a alocar a banca, é o expectável. O nosso serviço custava 400 mil euros ano, mas, em função da desconfiança que se gerou, tivemos de escolher outra plataforma e o custo de acelerar a migração dos dados foi de dois milhões de euros”.

Processo de mudança, contudo, que António Ferreira também garantiu estar “devidamente previsto pela evolução da plataforma digital do Benfica”: “A Altice não disponibiliza as funcionalidades de office 365 que vamos precisar, pelo que o processo de transição ia acontecer, mas seria muito mais tranquilo”.