O incidente de recusa surge na sequência da entrega pelo juiz de um pedido de “escusa de intervir na tramitação e julgamento, por existir suspeita sobre a sua imparcialidade”, depois de surgirem notícias, fotografias e publicações nas redes sociais do magistrado a dar conta da sua ligação afetiva ao Benfica.

A defesa de Rui Pinto pediu o afastamento do juiz Paulo Registo do julgamento do processo, acusando-o de violar o direito de reserva e de já ter formulado um pré-juízo condenatório do criador do Football Leaks.

O incidente de recusa, assinado pelos advogados Francisco e Luísa Teixeira da Mota, a que a agência Lusa teve esta quarta-feira acesso, surge na sequência da entrega pelo juiz (a quem foi distribuído informaticamente o processo) de um pedido de “escusa de intervir na tramitação e julgamento, por existir suspeita sobre a sua imparcialidade”, depois de surgirem notícias, fotografias e publicações nas redes sociais do magistrado a dar conta da sua ligação afetiva ao Benfica.

No entender dos advogados há outras razões, nomeadamente, “o facto de o juiz ser um fanático ou um fervoroso adepto do Benfica, sendo que ao arguido Rui Pinto é imputada, nestes autos, a autoria do blog Mercado do Benfica, que deu origem a processo (s) contra o Benfica e seus funcionários que correm pelos tribunais portugueses”.

Os ofendidos são o FC Porto, Escritório de Advogados, Sporting e Doyen mas os advogados insistem no Benfica.