Tudo o que foi dito por Vieira:


Decisões difíceis o ano passado?


“Só Lage poderá dizer o que se passou. Basta ver quem o foi buscar a Inglaterra. Quando Rui Vitória se foi embora, disse-lhe ‘vais tomar conta do Benfica, possivelmente estamos a negociar com Mourinho, se ele vier não serás treinador do Benfica’. E ele disse-me “se for ele vou buscá-lo ao aeroporto’. Houve apenas conversas comigo e com o Zé [Mourinho] e depois no avião, a seguir ao jogo com o Santa Clara, disse-lhe que seria o treinador do Benfica nos cinco anos seguintes.”

Saída do Benfica

“Durante meses estava a caminhar para a hiperpneus e depois lembrava-me que já não trabalhava lá. Não sei o que vai acontecer no caso do Benfica. Há um timing para sair. Mas acho que devo sair a meio de um mandato, conheço-me a mim mesmo e quando achar que devo parar, paro. Quero sair numa altura em que seja recordado e não ser julgado. No dia em que concluir o que prometi, não vou acrescentar mais nada. Do Benfica não deixarei de ser mas às vezes é penoso… este jogo não fui a Moreira de Cónegos porque o meu neto fazia anos. Este ano tive férias e a minha mulher não acreditava que as malas estavam feitas…”

Vítor Catão no Seixal. Como foi?

“Ele tinha posto um processo e depois desistiu dele. Fiz aquilo sem maldade, ainda não não vejo maldade. Nunca mais contactei com ele. Ele depois foi desagradável. Se me arrependi? Depois das notícias comecei a pensar mas é aquilo de receber as pessoas no Seixal. Hoje não o faria.”

Líderes de balneário

“Jardel, André Almeida, Pizzi”

Saída de Jonas

“É alguém que nos marcou, não só pelos golos. Vai ser difícil encontrar outro. Deixou muitos amigos no Benfica. Quando me disse que ia sair? Todos sabem que a última época dele foi penosa. No final da época disse-me que queria terminar a carreira. Disse que não tinha condições. Ele pretendia estar na terra dele, com a família. Já tinha saudades e isso pesou nele.”

Naming do Centro de Estágio.

“Vai começar por Benfica Futebol Campus. Patrocinador? Neste momento ainda não. Vai continuar assim, mesmo na expansão.”

Naming do Estádio da Luz.

“Já fomos confrontados com duas situações: numa havia um cliente com condições financeiras mas a marca não era apetecível. Já tivemos a marca mas não queriam pagar o que queremos. Não é barato o preço.

Aumentar a lotação da Luz?

“Houve conversa com Mário Dias e António Ferreira por causa do projeto deste estádio e é verdade que estamos a falar com os projetistas para aumentar a capacidade do mesmo. Não sei se 3 mil, 5 ou 10. Vamos aumentar a capacidade mas não está decidido. Até final do mandato saberemos a capacidade. Quase que posso garantir que iremos aumentar a capacidade do Estádio da Luz.”

Emails e Hacker. Benfica vítima de extorsão?

“Estamos num estado de direito e a justiça vai funcionar. Está entregue a três advogados. Chegou uma altura no Benfica em que não falávamos de outra coisa…

Relações com FC Porto e Sporting

“Penso apenas no Benfica, não me preocupa os parceiros. Às vezes falamos com eles. Mas não há condições no futebol português para pensar numa estratégia conjunta e isso é mau. Poderei falar com o presidente do Sporting, com o preisdente do FC Porto nao há condições. Crise do Sporting má para o negócio? Sim, é mau. Quem elegeu Varandas foram os sócios, num período conturbado. Ja vi problemas assim no Benfica mas sou muito determinado. A prioridade que o Sporting deve ter é criar estabilidade, se não é mau para o Sporting e para o futebol português. É muito mau mesmo a situação que o Sporting vive neste momento, deveria estar a competir a sério com Benfica e FC Porto. Com Varandas não tenho problemas em falar. Do FC Porto não quero falar.”

Futuro de Bruno Lage

“Lage é o treinador do Benfica, tem mais três anos e já lhe fiz abordagem para renovar com ele. A grande maioria dos benfiquistas revê-se neste projeto. Se quiserem um projeto alternativo de carregar num botão, não contem comigo.”

Quanto pode o Benfica gastar num reforço?

“Por 40 M€ não chegamos lá. Fasquia máxima? Depende da posição. Já chegamos a 20 M€. Não sei se haverá necessidade. 30 M€? Não é preciso? Temos de estar disponíveis para investir, se for preciso. Lage pode indicar um jogador mas ele terá de passar também pelo scouting do Benfica. Quando o nosso treinador vê um jogador fala antes com o scouting.

Renovação de Jota
“Dentro de dias está resolvido. Falta renovar com dois. Um deles é o Jota, o outro não interessa… Estamos a conversar com ele, poderia levar a mal. É um titular do Benfica. Pronto, é o Grimaldo. Vamos chegar a acordo, praticamente está negociado. Vai subir (risos)…”

Contratar um craque por ano?

“Temos craques, por que motivos nos vamos desfazer deles? Para aumentar a cláusula a Rúben Dias vou aumentar-lhe o salário. Desde que existam jogadores no Seixal com competência, garanto que o Benfica não vai ao mercado. Se alguém quiser alterar isto, não será comigo. Para o ano há eleições… Se houver posições que não temos no Seixal, compramos e podemos comprar por 20 milhões, se for preciso. Avançados? Talvez o Seixal vá produzir um ou dois…”

Qual é o teto salarial?

Não interessa, interessa é a qualidade dos jogadores. Cinco milhões brutos? Ninguém ganha isso aqui. Se o Benfica avançar com o projeto europeu, o orçamento teria de subir muito mais. Mas vamos continuar nesta linha.”

Massa salarial aumentou mais de 40 por cento?

“Tivemos de pagar mais, não interessa os nomes. Quem faz parte do futuro do Benfica todos têm cinco anos de contrato. Para uns tivemos de fazer um grande esforço. Também se falou de outros para sair, não foi apenas o João Félix. Rúben Dias? Acho que não consegui aumentar a cláusula mas havemos de voltar a falar. Poderá vir a ser o futuro capitão do Benfica e o clube não deverá perdê-lo. É um dos líderes do balneário, feito no Benfica. É daqueles que iremos fazer o esforço que tivermos de fazer. Para ele a proposta é boa mas vamos ver se chegamos a um acordo.”

Recomeça a entrevista.

A entrevista segue dentro de instantes, após uma curta pausa.

Críticas do diretor do jornal do Benfica a José Eduardo Moniz

“Benfica é um clube democrático. Eu e o Zé não temos problemas mas quando divergimos é lá dentro. Quando não concorda, diz que não concorda mas alguém tem de decidir. Nada tenho contra ele e ele contra mim. Pessoalmente, nunca intervi em editoriais do Benfica, nem em programas da BTV. A única coisa que fiz foi ter o cuidado de ligar ao José Nuno Martins e dizer ‘cuidado, não sei o que existe entre vocês, mas quem está a comer por tabela sou eu’. Acho que deve ser qualquer coisa do passado mas vão entender-se. Ele tem opinião da limitação de mandatos. Eu acho que se isso houvesse no Benfica o clube não chegaria ao ponto a que chegou hoje.”

Continuidade.

“Vou fazer mais um mandato, vou candidatar-me para mais. Queremos entregar um Benfica sem dívida e acho que estou à beira de o conseguir.”

Quis mudar o emblema do Benfica?

“Há uma proposta do nosso marketing. Tem a ver com a nossa internacionalização mas ainda não foi devidamente escalpelizada. Serão os sócios a decidir. Vamos propor um símbolo mais comercial e os sócios terão a última palavra. Ninguém fará nada à revelia dos sócios.

E-Toupeira e Paulo Gonçalves.

“Vivemos num estado de direito e acredito cegamente na justiça. O que foi feito foi ilibar o Benfica do que quer que seja. Durante um ano certamente que nos vigiaram para chergar a essa conclusão. Sobre Paulo Gonçalves, sei pelos jornais, nada mais. Sou amigo dele, foi e é um extraordinário profissional e deu muito ao Benfica. Vai enfrentar o julgamento e estou convencido que ele não será penalizado. Não colocou em causa o nome do Benfica. No julgamento veremos. Acha que ele consultou os processos dos adversários? Pessoalmente não sei de nada. A justiça vai funcionar e veremos o que lhe acontece. Todos querem julgá-lo. Havia coisas que ele fazia e não dizia a ninguém. É um super profissional. (…) Já foram a minha casa quatro vezes. Podem investigar.”

Quando disse que Taarabt nunca iria vestir a camisola do Benfica

“Eu não mudo de ideias, o treinador é que pode mudar. O que é estranho é dizer dele como é que deixou passar a carreira ao lado. Com Lage tudo mudou. Como mudei de ideias? A qualidade do jogador e o treinador. Está a provar ser merecedor e já renovámos com ele. Na altura estávamos ofendidos com ele. Depois melhorou e com Lage foi o que se viu.”

Perin

“Nunca tinha sucedido. Quando o comprámos em Itália negociámos com o empresário e nesse momento o jogador está a fazer exames e sucedeu o que sucedeu. Foi mau para nós e para o jogador. Toda a nossa equipa técnica gostava dele. Depois da lesão dificilmente poderemos pensar nele.”

Compra de Cádiz

“É chegar ao final da época e depois e ver a lógica que tem. Se calhar vamos fazer outra operação em Portugal assim. Há negócios que encaro como ganhar dinheiro, puramente. Quando comprei o Ederson comprei dois jogadores ao Rio Ave no avião. Ninguém sabia o que seria o Ederson, criticara-me no Benfica por tê-lo comprado. Comprei-o por ele ter passado no Benfica mas diziam que era um pouco desviado da cabeça.”

Recompra de Chiquinho

“Tínhamos direito de preferência. Não foi mau negócio. Foi cedido com 50 por cento e opção de recompra. Entendemos que devia voltar mas infelizmente lesionou-se. Não é uma questão de não acreditar. Vamos recuperar esses quatro milhões que pagámos por ele. Até do Alfa me pode cobrar.

Estes fluxos financeiros parecem favores?

“No Benfica não sucede isso. O sócio do Benfica acho que não pensa assim, os resultados estão à vista. Aqui não há favores. Se interessar, compra-se.”

Valor da compra de Vinícius? Custava 4 e o Benfica paga 17?

“Até podia comprar por 20. Em maio, estive em Nápoles para contratá-lo e oferecemos 12 M€, rejeitados pelo presidente do Nápoles. Uns meses depois, dois clubes portugueses e um inglês tentaram o Vinícius. Não podem desmentir. Se calhar não tinham era pedalada para o comprar. Decisão de o comprar foi minha. Graças ao crédito que temos sabemos comprar. O principal título do Benfica hoje é a credibilidade. Não tem nada a ver com Jorge Mendes. A quem paguei a comissão foi ao sr. António Teixeira. Ele estava perto de mim em Nápoles mas não teve nada a ver. Ouvi comentários depreciativos sobre o jogador mas com Jiménez também foi assim. A primeira prioridade era o De Tomas e quando apareceu esta oportunidade de comprar o Vinícius tentei não a perder e esforcei-me para comprá-lo. Ele pode marcar poucos golos, se o Benfica o quiser vender. É o mesmo que dar 500 mil por jogador e vender por 40 M€.

Rendimento de Raul de Tomas?

“O jogador tem um passado. Tínhamos um problema com o Real mas ficou clarificado. Há de marcar golos um dia, não estou preocupado. Se compro por 15 é caro, se vendo por 15 é barato, já aprendi essa lição no Benfica.”

Venda de João Félix: porque a intervenção de Mendes?

“Mendes é sempre muito badalado. Já lhe disse que ele tem um táxi para cobrar. A comissão vai para a conta dele, é 10 por cento. Ele é um profissional. Ele aparece porque quando a cláusula estava em 60 M€ disse-lhe que se alguém chegasse aos 120 M€ a pronto ele teria os seus 10 por cento. Houve negociação com o Mendes para se subir essa cláusula – o Mendes fez uma parceria com o empresário dele. Nós já recebemos o dinheiro e ele ainda não recebeu a comissão. Vai receber mas lentamente. Entraram os 120 com a diferença de três dias, 90 mais 30.

Conta corrente do Benfica é acima dos 100 M€?

“Benfica está tão apetecível que se disser vêm todos a correr. Nunca pensava.”

Isso permite ter maiores ambições europeias?

“Gosto de estar com os pés assentes no chão. Nos últimos 10 anos ganhámos 17 títulos. Quem andou atrás de nós andou no estado que está. Benfica não pode entrar em destruição. Um demagogo qualquer investiria para criar uma superequipa mas depois a queda seria grande. Sonho europeu? Vamos lá chegar. Quando? Ninguém consegue dizer quando. Isto vai com o que temos feito. Temos um grupo de jogadores com ADN do Benfica. Se tivermos de ir ao mercado, vamos de certeza, em dezembro ou janeiro. Um objetivo é chegar a uma final europeia e vamos ter essa equipa para lutar. Acredito no que fazemos. Qualquer benfiquista deve estar orgulhoso com o seu clube. Este trabalho é para o futuro. Daqui a 10 ou 15 anos vão lembrar-se de mim e dos meus companheiros.”!

Dívida

“Fizemos antecipação de receita para pagar dívida. Pagámos 250 milhões de euros à banca nos últimos quatro anos. Num jogador só o Benfica ultrapassou o ativo que tinha (João Félix). Venda de Félix para reduzir passivo? Benfica tem a dívida completamente controlada, não há necessidade. O Benfica tem outras prioridades e uma delas são as infraestruturas, queremos expandir o Seixal.”