Treinador do Benfica fez a antevisão à meia-final da Taça de Portugal, com o Sporting

Advertisement

Jogo mais cauteloso? “Ainda não sei. Sei que vai ser jogo diferente. Encarámos o último como final pois não tínhamos espaço para perder mais pontos. Este é diferente. Não é decisivo. A decisão é mais à frente.

Risco da equipa estar mais deslumbrada após vitória em Alvalade: “Isso das facilidades partem da análise ao resultado. Foi um jogo muito difícil, competitivo, que acabou por sorrir a vitória e o resultado muito bom, mas foi fruto do nosso trabalho. Acredito que seja jogo diferente, mas o mais importante é mantermos o equilíbrio. Na derrota com o FC Porto não ficámos muito preocupados, na vitória com o Sporting voltámos a fazer a análise e há muito trabalho a fazer. O nosso registo é sempre de equilíbrio porque coloco enorme pressão no meu trabalho e então as coisas externas já não me afetam tanto.”

Keizer disse que Sporting está desgastado mentalmente após a derrota. O Benfica pode aproveitar? “O facto do jogo surgir no espaço de três dias é um oportunidade para as duas equipas. O Sporting quer dar imagem diferente. Há 15 dias foi ‘Campeão de Inverno’. É um adversário difícil. E, para nós, é uma oportunidade de darmos continuidade ao nosso trabalho. A nossa forma de estar é de olhar para o jogo, continuar a evoluir. Vamos sair de um jogo e entrar no outro sem treinar. Quando estás numa fase de implementar ideias novas, temos de treinar. Por um lado é difícil, por outro é desafio interessante fazer caminha com estas dificuldades.”

Fejsa e Jonas: “Estão fora do jogo.”

Benfica tem capacidade para repetir o jogo com os mesmo jogadores? “Há diversas formas de trabalhar a recuperação e cada jogador é diferente. Temos um dia e meio, neste momento, e é cedo para avaliar. O sentido é de apresentarmos equipa determinada.”