“O mais importante é defender o Benfica e foi isso que tentei fazer”

António Silva em grande no BPlay

António Silva concedeu uma entrevista ao BPlay onde falou dos dois jogos da champions.

 

“Toda a gente sabe o historial que o Bonucci tem no futebol europeu. No futebol não se liga a nomes. O mais importante é defender o Benfica e foi isso que tentei fazer. Quando entro para o jogo sou um jogador muito tranquilo. Sem dúvida que ouvir o hino na Luz deixa-me muito orgulhoso mas tento deixar de parte tudo o que é extra jogo e acabou por correr bem. Ganhámos o jogo por 2-0 e foi uma exibição boa da equipa”, afirmou em declarações ao BPlay.

 

“Para trabalhar da melhor maneira possível tenho de ir o mais calmo possível para as coisas correrem bem. Se estou a jogar no Benfica é porque tenho qualidade. Se a tenho, tenho tudo para correr bem dentro de campo. Com colegas excepcionais como eu tenho, as coisas acabam por correr bem. Um dia vou errar e não vou estar sempre perfeito. Tenho o chip ligado para dar a volta por cima”, garantiu.

Reação ao golo sofrido.

“O golo acaba por ser uma consequência. Agarrar na bola e colocá-la no círculo central é um movimento em que a equipa olha para mim e diz: ‘Este miúdo já está a pensar no próximo’. É isso que tem de pensar. O golo já foi. É importante o que vai acontecer a seguir. Fizemos o empate na primeira parte e o segundo golo na segunda parte.”

É benfiquista ferrenho

“Ser do Benfica é algo excecional. Sente-se uma coisa tão intrínseca por ser Benfica que é algo que me deixa muito orgulhoso. Sendo eu benfiquista ferrenho, poder ajudar o meu clube nestas conquistas, é algo que nunca pensei que ia conseguir. Estou extremamente orgulhoso.

Sempre fui benfiquista por influência do meu pai, o meu irmão se calhar é o mais benfiquista da família. Foi-nos passando isso. O Benfica é uma forma de viver e algo muito bom

O Rúben Dias é uma referência tal como o é para as pessoas do Benfica Campus. Ele entrou muito cedo no Benfica e hoje em dia está à vista de todos o que está a conquistar. Temos a certeza que ele vai conquistar muito mais

É uma pessoa muito importante no Benfica. Cresci a ir ao estádio e a ver o Luisão jogar. Um dia, ser eu a jogar, e ver o Luisão de fora a apoiar-me, é excecional para mim

Passei muito mal, tinha muitas saudades de casa. Era muito novo. Na altura, com a ajuda dos responsáveis do Benfica acabei por voltar a casa e foi um passo em frente naquilo que é a minha curta carreira. Acabou por não ser um passo atrás mas para a frente. Estando no Benfica tão novo não era aquilo que eu queria, até na minha vida enquanto miúdo. Entendeu-se que devia voltar a Viseu.

Os jogadores que ingressam no Benfica Campus acabam por sair prontos. É a vida. Não podemos ficar todos no Benfica. Acabam por sair grandes homens e com valores que os pais irão agradecer ao Benfica por aquilo que o clube passa aos jogadores. Vimos para aqui muito novos e acabamos por sair aos 18 anos para ir viver sozinhos ou com outro colega. Passam-nos tudo, desde cozinhar, problemas que possamos ter em casa, é tudo passado para nós. A adaptação a qualquer contexto é mais fácil porque nos ajudam em qualquer contexto”

Leia também: Rafa põe fim na carreira à na Seleção de Portugal

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Botão Voltar ao Topo